12.12.05

A nova web

Web 2.0 é o que alguns tem considerado a nova forma que a World Wide Web está tomando. Em um excelente artigo escrito por Tim O´Reilly (editor dos famosos livros técnicos com capas nonsense de animais e um dos principais "filósofos" de tecnologia hoje) existe uma lista básica do que torna uma empresa Web 2.0:

  • Venda de serviços e não software (Amazon).

  • Controle sobre dados únicos e difíceis de serem recriados que ganham valor a medida em que mais pessoas os utilizam (Google).

  • Encarar os usuários como desenvolvedores do serviço (Flickr).

  • Utilizar a inteligência coletiva (Wikipedia).

  • Valorizar as "pontas" da web (usuários finais, pequenos sites), não só o centro (clientes milionários, grandes sites). (AdSense)

  • Software rodando e integrando diversos dispositivos (iTunes).

  • Interfaces, modelos de desenvolvimento e de negócio simples e leves (37signals).


Como a coisa está meio na moda e já surgiram diversas buzzwords em torno da tal já tem um pessoal ironizando o hype, mas tudo indica que a Web 2.0 tem valor suficiente para sobreviver a ele, tornando-se algo realmente sério, interessante e disruptivo.

3 Comentários:

Blogger diego disse...

O que será que o O'Reilly teria a dizer sobre a Last.fm?

1:45 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Legal M, a não ser pela parte do pejorativo à Prateleira Safari. Pelo seu gabarito, não subestimaria seu brilhantismo; contudo se você não foi capaz de enxergar evidentemente a porção crítica da web toda como uma tremenda floresta - algo roots - como os grandes mestres das artes marciais vislumbraram em seus estilos. Se isto não te incomoda tanto assim; talvez seja melhor buscar um sentido para algo sem sentido, se bem que temos outras editoras wannabes decolando por aí. Apesar das patadas e grunidos aqui proferidos, use suas cicatrizes para se fortalecer.
Um forte abraço,
Zencoder, um animal indignado, numa selva desconhecida num lugar distante.

1:10 PM  
Blogger mdediana disse...

Ops, não tenho nada contra a O´Reilly, muito pelo contrário. Sou programador e considero os livros deles os melhores, disparado. Na real, os tais bichos nas capas acabam funcionando para mim como um selo de qualidade.
E acho que você realmente tem um ponto: eu nunca tinha pensado na selva como metáfora. Legal.
Valeu.

3:15 PM  

Postar um comentário

Links para esse post:

<< Home