9.9.05

Humanas + Exatas

Planolândia, um romance de muitas dimensões, publicado em 1884, foi escrito pelo professor e teólogo inglês Edwin Abbott Abbott. O romance apresenta discussões bastante interessantes (e didáticas) sobre conceitos matemáticos relacionados à dimensões geométricas. Mas o grande atrativo do livro é a crítica social feita através da descrição dos mundos (Linhalândia, Planolândia e Espaçolândia).

O livro é narrado por um quadrado morador de Planolândia. Ele descreve como é a vida e a sociedade em seu mundo. Lá, o status social é relativo à quantidade e a regularidade dos lados das figuras. Assim, os triângulos isósceles representam a camada mais baixa e estúpida da sociedade, que são os soldados. Depois deles na rígida hierarquia social vêm os triângulos eqüiláteros (mais regulares que os anteriores), os quadrados, os pentágonos e assim por diante, até chegar a figuras que têm tantos lados que são praticamente círculos (os sacerdotes de Planolândia). No romance as mulheres são tão desprezíveis socialmente que são segmentos de reta (e são obrigadas a andar balançando o traseiro de forma que sejam visíveis de frente). As figuras irregulares são os marginais e criminosos, que são internados em hospitais para serem "regularizados", são usados em estudos nos colégios das classes altas (onde morrem rapidamente, pois são muito mal tratados) ou são sumariamente destruídos.

É, parece que poucas coisas mudaram nos últimos 100 anos.

1 Comentários:

Blogger Grifinia disse...

parece que nunca mudam.
some thing change and some stays the same... like time.

4:52 PM  

Postar um comentário

Links para esse post:

<< Home