12.2.07

William Gibson em inglês

E já que o tema é literatura, aguardamos ansiosamente o novo livro do mestre, Spook Country (se você achou essa capa sinistra, olha a da versão inglesa). Da descrição da Amazon:

"Tito tem vinte e poucos anos. Nascido em Cuba, ele fala russo fluentemente, mora em um quarto em um armazém em NoLita [N.T.: North of Little Italy, distrito nova-iorquino] e realiza trabalhos delicados envolvendo transferência de informação.

Hollis Henry é uma jornalista investigativa, a trabalho para uma revista chamada Node. A Node ainda não existe, e tudo bem; ela está acostumada a isso. Mas parece que ela está bloqueando o tipo de barulho que as revistas normalmente cultivam antes de serem lançadas. Bloqueando pra valer. É estranho, até um pouco assustador, se Hollis se deixar pensar muito nisso. O que ela não faz; ela não pode se dar a esse luxo.

Milgrim é um viciado. Um viciado sofisticado, ligado em ansiolíticos vendidos com receita médica. Milgrim percebe que ele não sobreviveria se Brown, o homem misterioso que o salvou de um desentendimento com seu traficante, parasse de lhe arranjar aqueles pacotes em plástico bolha. Milgrim não sabe dizer o que exatamente Brown está tramando, mas parece ser de natureza militar. Pelo menos, o russo sutil de Milgrim parece ter muito a ver com isso, assim como arrombar salas trancadas.

Bobby Chombo é um "produtor", e um enigma. No seu trabalho diurno, Bobby é um investigador de problemas técnicos para fabricantes de equipamentos militares de navegação. Ele se recusa a dormir no mesmo lugar duas vezes. Ele não se encontra com ninguém. Hollis Henry recebeu ordens para achá-lo."


E aí, tem alguma chance de ser ruim?

Marcadores: ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Links para esse post:

<< Home